23/10/2014

Negociação com a Delphi não avança


Vale da Eletrônica perde com alta do dólar

As recentes e elevadas altas do dólar, observadas nas últimas semanas, deverão prejudicar os negócios das indústrias do Vale da Eletrônica, em Santa Rita do Sapucaí (Sul do Estado). Isso porque a cotação da moeda americana tem relação direta com a competitividade das empresas instaladas no Arranjo Produtivo Local (APL), uma vez que a maioria dos componentes dos equipamentos eletroeletrônicos é comprada no exterior, diretamente dos fabricantes. Com isso, o repasse do aumento nos custos será inevitável.

As informações são da presidente interina do Sindicato das Indústrias de Aparelhos Eletrônicos, Elétricos e Similares do Vale da Eletrônica (Sindvel), Flávia Couto. De acordo com ela, a oscilação do câmbio refletirá, inclusive, nos resultados finais das empresas da região no fechamento de 2014.
"O setor tem uma característica própria de lidar bem com momentos de crise, em função dos altos investimentos em inovação tecnológica. E é isso que tem ocorrido neste momento de desaceleração da economia nacional. No entanto, a elevação do dólar diminui a capacidade de driblar situações adversas e as conseqüências são inevitáveis, pois elevam os custos em relação à compra de matéria-prima, ao mesmo tempo em que dificulta as exportações", diz.

Entre os efeitos negativos, ela cita o repasse do aumento dos custos de produção aos clientes, a conseqüente baixa na demanda, o recuo no desempenho das empresas do setor e, até mesmo, a demissão de mão de obra. A analogia decorre do fato de o APL ter na compra direta dos fornecedores internacionais seu principal diferencial no que diz respeito à competitividade dos produtos. " um ciclo. Um pequeno detalhe pode prejudicar o desempenho das indústrias de tal maneira que gere uma onda de demissões", adverte.

Porém, a situação no Vale da Eletrônica ainda não chegou a esse ponto. Prova disso, conforme a presidente, é que as empresas deverão encerrar 2014 com faturamento semelhante ao do ano anterior, da ordem de R$ 2,2 bilhões. Inicialmente, a expectativa era que a receita crescesse entre 7% e 10% frente ao ano passado. Nos exercícios anteriores, a média de crescimento girou em torno de 30%.

Como forma de estreitar o relacionamento com fornecedores externos, e diminuir os impactos de fatores adversos como a alta do dólar, o Sindvel e suas associadas participam de diversas feiras tecnológicas internacionais. Nesta semana, por exemplo, uma delegação de 22 empresários locais se encontra em solo asiático para conhecer o que há de mais recente em termos de inovações tecnológicas que possam se aplicadas no setor.

Fonte Diário do Comércio

16/10/2014

Tamura Indusul inaugura nova unidade em Santa Rita do Sapucaí


O grupo Tamura Indusul inaugurou uma nova unidade, na manhã desta quinta-feira (16), em Santa Rita do Sapucaí. A empresa já ocupava um galpão do Condomínio Municipal de Empresa e agora, passa ocupar outra área no mesmo condomínio. A diretora do SINDVAS, Teca, acompanhou a cerimônia de inauguração como representante dos trabalhadores de Santa Rita.

O grupo Tamura adquiriu 49% da empresa Indusul no ano de 2012, em junho deste ano comprou os 51% restantes integrando a empresa de Santa Rita do grupo multinacional Tamura que opera em vários continentes no mercado de transformadores.


O investimento de R$ 500 mil feitos no novo galpão em Santa Rita do Sapucaí é parte do processo de ampliação da empresa no município. O grupo que emprega 120 pessoas no município espera chegar ao segundo semestre de 2015 com 200 trabalhadores.

15/10/2014

Saldo de empregos é negativo em Santa Rita do Sapucaí no mês de setembro

O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) para o mês de setembro. Em Santa Rita do Sapucaí houve recuo de 0,5% na geração de empregos.  

O número de vagas de trabalho geradas com carteira assinada foi de 454, por outro lado 518 trabalhadores foram demitidos no mês período. O saldo ficou em -64 postos de trabalho.


O setor de agropecuária foi que mais contribuiu para a queda com saldo negativo de -42 postos de trabalho. Na sequência aparecem os setores de serviços (-19), comércio (-10) e indústria de transformação (-4).

14/10/2014

Dirigente da Central será indicado para presidência do Inspir

Presidente do SINDVAS, Maria Rosângela Lopes, participa
do encontro. Foto Tiago Santana
Dirigentes da Força Sindical se reuniram, nesta terça-feira (14), na sede da Central, em São Paulo, para debater a pauta da reunião do Instituto Sindical Interamericano pela Igualdade Racial (Inspir). “Esta reunião foi importante para deliberarmos o posicionamento de nossa Central no que diz respeito aos assuntos de gênero e raça”, afirmou João Carlos Gonçalves (Juruna), secretário-geral da Força Sindical.

O encontro do Inspir será realizado na manhã desta quarta-feira (15), a partir das 9h, na sede do Solidarity Center, localizado na Rua Marconi, nº 71, Conjunto 71, 7º andar, Centro, São Paulo/SP.
Segundo Francisco Quintino, secretário-geral do Instituto, serão discutidos, entre outros assuntos, a alteração do Estatuto Social do INSPIR para acrescentar ao artigo 35 a criação do departamento de juventude; o curso de Formação de Multiplicadores e o programa de atividades para 2015.

Eleições
A eleição da nova diretoria do Instituto acontece nos próximos dias 11 e 12 de novembro num Seminário que será realizado pelo Inspir, em Cajamar, interior de São Paulo.

O nome do atual secretário-geral do Inspir será indicado para ocupar a presidência do Instituto para a gestão 2015/2017. Quintino, que hoje também é secretário de Políticas de Promoção e Igualdade Racial da Força Sindical SP, defende a continuidade do trabalho em prol da igualdade de oportunidades. “Queremos ampliar o espaço dos negros e pardos dentro da sociedade e especialmente no mercado de trabalho”.


O sindicalista ressalta que somente com mobilização e um trabalho permanente em torno deste tema será possível combater está pratica nefasta contra os trabalhadores e trabalhadoras negras de todas as partes. “As centrais sindicais têm dado apoio importante ao longo dos anos para que cada vez mais os negros em nosso País possam valer seus direitos”, completou Quintino.


Assessoria de Imprensa da Força Sindical

Número de metalúrgicos cresce nos últimos oito anos

Até agosto deste ano, o Brasil contava com 2.398.700 mil metalúrgicos formalizados. Oito anos antes, em 2006, o número era de 1.777.608.

De lá para cá, cresceu em 621 mil postos o emprego formal metalúrgico. Por ano, a média foi de 77 mil novos empregos diretos. “Cada emprego metalúrgico, dependendo do segmento, gera de duas a três vagas na cadeia produtiva”, informa o economista Rodolfo Viana, do Dieese.

O crescimento foi interrompido em 2009 (crise provocada pelos bancos norte-americanos, no chamado suprime). A marca daquele ano foi de 2.032.473 empregos. Ou seja, menos 366 mil vagas em relação ao patamar de 2014. Vale lembrar que neste ano o setor metalúrgico cortou vagas no primeiro semestre, tendência que vem perdendo força.



Fonte Agência Sindical

13/10/2014

Outubro Rosa, mês de saúde da mulher

Ações diversas ocorrem em todo o mundo no mês de julho para chamar atenção para a prevenção ao câncer de mama. A doença é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% de novos casos a cada ano.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a mortalidade de câncer no Brasil é elevada, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados.

O movimento popular Outubro Rosa, que começou nos Estados Unidos, tem o objetivo de chamar a atenção para a prevenção do câncer de mama e incentivar as mulheres a fazerem a mamografia, exame que detecta a doença.

Uma vez que diversas instituições promovem ações no mês de outubro também é importante que a saúde da mulher como um todo seja lembrada.

As empresas nesse sentido podem promover a saúde entre suas funcionárias que passam boa parte do dia dentro do local de trabalho. A realização de pequenas e rápidas palestras, ações de comunicação para a prevenção, incentivar o autoexame e a mamografia são modos alertar as trabalhadoras para cuidarem sempre da saúde.


O SINDVAS no artigo 22° da Convenção Coletiva de Trabalho recomenda que as empresas “por ocasião dos exames periódicos de saúde, incluam exames e testes de prevenção de câncer ginecológico”. Assim, o Sindicato orienta as trabalhadoras para que não deixe passar esse direito e busquem a prevenção. 

Ministério Público processa prefeitura por falta de vagas em creches de Santa Rita

O Ministério Público de Santa Rita do Sapucaí abriu processo contra a prefeitura devido à falta de vagas em creches no município. O promotor público, Francisco Coutinho do Amaral, diz que tentou entrar em acordo com o prefeito Jeferson Gonçalves Mendes, antes de acionar a justiça, mas não teve êxito. Ele acrescenta que desde 2013 recebe semanalmente cerca de cinco mães que se queixam do déficit de vagas para a educação infantil. Segundo Amaral, o déficit de vagas calculado pela Secretaria Municipal de Educação atinge 900 crianças. A liminar foi deferida na última semana e a prefeitura recebeu a notificação do processo nesta quarta-feira (8), mas até o momento não se pronunciou sobre o fato. 


Leia mais em:

http://www.difusora1550.com.br/noticias/jornal-noticias-do-dia/?id=6418